10/12/2018  18h01
· Guia 2018     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Geral
17/05/2018 - 05h22
Bebês e crianças utilizando celulares e tablets
 
 
Fonoaudióloga dá dicas para os pais na hora de utilizar esses equipamentos com os filhos e também de alguns aplicativos que ajudam no desenvolvimento infantil

Num mundo cada vez mais conectado, não é raro ver bebês manuseando celulares, tablets e outros aparelhos com tela. Mas o que pode ser uma distração para eles e um momento de alívio ou intervalo para pais cansados ou atarefados, também pode prejudicar o desenvolvimento da criança quando utilizados em excesso. Assim como ficar horas em frente a televisão, assistir celular e tablet por muito tempo pode atrapalhar. O uso desses aparelhos deve ser utilizado com moderação e supervisão de um adulto para não ter problema, como explica a fonoaudióloga Raquel Luzardo, especialista em linguagem e desenvolvimento infantil. "Proibir o acesso pode não ser o caminho mais adequado, o uso saudável pode até ser benéfico. O que recomendo é estabelecer regras – limitar o tempo que a criança utiliza o aparelho e monitorar sempre", explica.

Os aparelhos portáteis estão em todos lugares hoje em dia, mas se você deixa a criança com o tablet indiscriminadamente, por tempo indeterminado e sem supervisão, pode em alguns casos resultar num isolamento social da criança porque esses aparelhos não favorecem a interação com o outro. "Muitos pais têm o raciocínio errôneo de que com essas telas estão estimulando a criança, mas esses equipamentos não promovem a interação com as pessoas. As crianças precisam do outro para se comunicar, verbalizar, testar, experimentar e, os jogos e aparelhos eletrônicos não possibilitam essa troca", ressalta. Segundo Raquel, ainda não temos dados suficientes para ver até que ponto toda essa digitalização vem ser mais ou menos benéfica para as crianças. O que sabemos até o momento é que, para distrair ou para não frustrar, os pais fazem uso do celular tanto dando na mão da criança quanto usando eles próprios enquanto estão com os filhos, perdendo um tempo precioso de contato visual, vínculo afetivo e integração familiar. Usar eletrônicos mais tempo do que o recomendado para cada faixa etária pode trazer prejuízos para o ser em formação. Um exemplo, é usar o celular na hora de deitar, danificando a rotina saudável do sono prolongando indevidamente o horário de dormir (essencial para o cérebro).

Raquel dá algumas dicas para os pais na hora que o filho for utilizar esses aparelhos

· Acompanhe o que a criança assiste, tanto como companhia quanto como guia. Os pais podem conversar sobre o que estão vendo, do mesmo jeito que faz quando lê um livro ou explica um ambiente diferente;

· Escolhas os jogos e vídeos de acordo com a faixa etária. Por exemplo, muitos jogos e programas são rápidos, confusos e barulhentos demais para quem é muito pequeno e podem ser assustadores. Prefira sites educativos;

· Escolha jogos que permitam que mais de uma pessoa jogue ao mesmo tempo e que estimulem a interação entre os participantes;

· Escolha jogos ou vídeos que não causem grandes excitação perto da hora de dormir, para que não haja interferência no sono;

· Escolha programas que estimulem vocabulário e noções básicas de matemática por meio de brincadeiras e associações que podem incluir compreensão auditiva, causa e efeito, opostos - como noções de grande e pequeno - e reconhecimento de cores e formas;

· Controle o tempo - Se você decidir deixar seu filho brincar com seu tablet ou telefone, 15 ou 20 minutos são mais que suficientes para bebês de 1 a 2 anos. Depois disso, a maioria acaba perdendo interesse;

· Quando seu filho tiver 3 ou 4 anos, você pode aumentar o tempo total na frente da tela para até no máximo duas horas por dia – lembrando que "tela" inclui computador, televisão, telefone ou qualquer outro tipo de tablet;

· Períodos mais longos acabam invadindo o tempo de outras atividades importantes para o desenvolvimento da criança, como comer, dormir, brincar, fazer exercícios e conversar;

· Ao brincar no computador com seu filho, fique de olho em sinais de cansaço, se ele parar de olhar para o monitor e começar a ficar inquieto, com sono ou a choramingar, é hora de parar;

· Escolha atividades com músicas simples. Desde que nascem, bebês adoram músicas e canções com ritmo constante e com rimas. A repetição de canções ajuda crianças de 1 ano a criar padrões e começar a antecipar o que virá em seguida. Esse tipo de padrão pode ter efeito positivo até nas noções de lógica e matemática;

· Se seu filho tem 1 ano e meio, divirta-o com sons de sinos, assobios ou relógios - crianças dessa idade reagem bem a esse tipo de som. Mas evite programas, aplicativos e sites com barulhos frenéticos ou músicas muito altas que provoquem excitação demais. Os ritmos aleatórios são confusos e assustadores para ouvidos tão novinhos.

Histórias nos livros ou tablets?

Historinhas no computador ou no tablet podem ser muito divertidas e ricas em imagens interativas, mas podem também acabar perdidas em meio à distração do aparelho eletrônico que você estiver usando. Isso muitas vezes ocorre porque se passa mais tempo explicando como tal botão ou controle funciona do que lendo a história propriamente. Muita variedade de ferramentas, pop-ups ou outras janelas interativas têm o mesmo efeito de distrair a atenção de uma criança pequena, ainda com poder de concentração limitado, da história em si.

O ideal é às vezes ler histórias nesse tipo de mídia mais moderna e também no bom e velho livro de papel, que ainda tem a vantagem de estimular a coordenação motora fina durante a virada das páginas. Alguns livros digitais (ou e-books) podem até ler sozinhos em voz alta para as crianças, mas considere que isso limita ainda mais sua interação direta com seu filho. Se você se mantiver ao lado do seu filho, conversando e enfatizando partes da história, o aprendizado e a diversão serão certamente mais ricos para ele.

Agora aqui vão algumas dicas desse universo online para serem explorados pelas crianças e que ajudam no desenvolvimento:

· PlayKids Stories – livros infantis - Histórias bastante lúdicas para ouvir e recontar. Estimula a leitura, interpretação, imaginação, interação e o vínculo se os pais brincarem junto com a criança.

· Palavra Cantada – Brincando com palavras - A música é um dos grandes estímulos para o desenvolvimento da linguagem.

· Zoró - Aplicativo com músicas feitas por Zeca Baleiro para brincar e descobrir o mundo através da bicharada de um universo lúdico e irreverente.

· Puzzle 4 kids – Quebra cabeça para montar os animais com o som do respectivo bichinho. Os pequenos vão adorar!

· Coelho sabido – estimula várias habilidades como consciência fonológica, vocabulário e raciocínio lógico.

· 4Dmais – Com um baralho temático de animais ou dinossauros junto com o aplicativo e os bichinhos aparecem em realidade aumentada. Super divertido!

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "GERAL"Índice das publicações sobre "GERAL"
09/12/2018 - 06h54 3 filmes para melhorar o seu espanhol
05/12/2018 - 07h00 Como enfrentar seus medos? 
04/12/2018 - 06h38 Negociar com o devedor
03/12/2018 - 08h35 Concurso da Polícia Rodoviária Federal
30/11/2018 - 07h39 Marinha: inscrições abertas para 533 vagas
29/11/2018 - 05h53 Como ressignificar decisões ruins na carreira?






· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2018, UbaWeb. Direitos Reservados.