19/03/2019  17h56
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Economia e Negócios
10/12/2018 - 07h55
Transformação da cobrança
Carla Graziela Porto
 

Há muitos anos atrás a cobrança era vista como o último negócio de uma empresa, hoje ocupa o segundo lugar perdendo apenas para o próprio negócio da empresa. Por exemplo, no caso de uma financeira, ela perde para o financiamento. Mas também existe a possibilidade de ser o melhor negócio, pois consegue transformar a cobrança em uma fonte geradora de receitas.

Esse percentual de alto índice de cobrança se da pelo motivo ao crescimento do crédito no Brasil, pois antes do plano real o mercado era carente de crédito, as pessoas eram carentes de produtos em casa, e após o plano real o acesso aos bens e produtos se tornou viável.

Com o aumento do volume de financiamentos, automaticamente, a cobrança se transformou em um ótimo negócio. Antes os financiamentos eram em feitos em 4 vezes, hoje é possível parcelar em até 60 vezes, em certos financiamentos. Isso fez com que o consumo aumentasse em todas as áreas de credito, principalmente na área de varejo. As pessoas começaram a comprar eletrodomésticos, móveis, materiais de construção para reformar a casa, veículos etc. Atualmente o foco está no financiamento habitacional.

De uma visão geral, esse mercado cresce muito. Na maioria dos empréstimos, há a intenção de pagar, mas a pessoa pode passar por algum tipo de infortúnio e atrasar o pagamento. São poucos os casos em que a compra é feita sem a intenção de pagar.

Na minha visão, não temos devedores, temos pessoas passando por dificuldades financeiras, claro que não podemos também deixar de apontar aqueles que compram mais do que ganham, em seu salario mensal.

Na última década, houve grandes avanços tecnológicos e o acesso a dispositivos móveis e à internet aumentou consideravelmente, inclusive entre a crescente classe C. Essa nova realidade tornou as técnicas de cobrança e relacionamento tradicionais, via contato telefônico, insuficientes.

“Com o advento das redes sociais e disseminação de aplicativos mobile, as informações privadas tem se tornado cada vez mais públicas e a utilização desses meios tem feito parte do cotidiano de um número significativo de pessoas. Nesse contexto, é importante que as estratégias de cobrança estejam alinhadas às novas tecnologias e ao cenário digital atual. Oportunidade para estabelecer contato com o devedor de modo diferenciado através de novas ferramentas de comunicação”.

“No ramo de cobrança, o contato via telefone, embora seja um dos meios mais utilizados, possui limitações consideráveis. Como por exemplo, a dificuldade de manter diálogo com o devedor fora de seu expediente no trabalho e também o custo operacional consideravelmente alto, quando comparado com outras ferramentas. A abertura e disponibilidade em novos canais de comunicação possibilita o contato em horários flexíveis e contribui para eficiência da cobrança e redução de custos”.


Nota do Editor: Carla Graziela Porto, colaboradora do escritório Giovani Duarte Oliveira, responsável pelo setor de Cobrança. Graduada em Processos Gerenciais e graduanda em Direito.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "ECONOMIA E NEGÓCIOS"Índice das publicações sobre "ECONOMIA E NEGÓCIOS"
19/03/2019 - 06h29 Enviou a declaração de IR com erro?
18/03/2019 - 07h57 Conheça as novas regras do IR em 2019
17/03/2019 - 07h49 Como declinar de uma proposta de emprego?
09/03/2019 - 07h57 Como organizar as finanças após o Carnaval
25/02/2019 - 06h55 MEI pode contratar terceiros?
24/02/2019 - 07h23 Mais um `voo de galinha´ da economia brasileira
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.