25/04/2019  02h44
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
São Sebastião
11/02/2019 - 07h15
APAMI
Maria Angélica de Moura Miranda
 
Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e Infância
 
Arquivo MAMM 
  Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e Infância, São Sebastião, SP.

Atendendo a um projeto do Estado de São Paulo, em 14 de dezembro de 1951, foi fundada a APAMI - Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e Infância.

A primeira presidente da Associação foi a dona Nair Ribeiro Scaramelli, esposa do então prefeito Jaime Scaramelli. O nome da entidade já definia seus objetivos, que se resumiam ao suporte de saúde e social às gestantes e crianças.

A APAMI atendia às crianças com roupas e medicamentos até completarem 12 anos. O médico Dr. Carlos Alberto Câmara Leal de Oliveira era quem dava assistência médica, tendo feito isso por longos anos.

Dona Leonor Santos de Oliveira, conhecida carinhosamente como Dona Lola, esposa do Dr. Carlos, foi a segunda presidente da APAMI. Esteve à frente da entidade durante 30 anos e conseguiu com que muitas mulheres fizessem o pré-natal e tivessem um atendimento médico durante o parto. A tradição na época era que as gestantes fossem atendidas pelas parteiras.

No Centro de São Sebastião as parteiras foram: dona Guilhermina Paes de Barros, dona Helena de Paula e Maria Paula da Luz, respectivamente a avó e a mãe do Bibinho, a enfermeira dona Júlia Tavares Bravo e dona Olga Castrisana que atualmente tem 95 anos.

Os partos eram feitos em casa, ou no salão onde hoje funciona uma loja de roupas, num prédio que ainda é da APAMI, que tem na parede a imagem de uma mãe amamentando.

Dr. Carlos e depois Dra. Eliza Pinheiro Mendonça que faziam o acompanhamento das pacientes, elas ficavam ali até o umbigo no recém-nascido cair e então tinham alta. Somente depois de 1963 com a inauguração do Hospital de Clínicas de São Sebastião, esses atendimentos acabaram.

Com o fim da Maternidade, o atendimento às mães e às crianças continuou sendo feito na sala onde ainda funciona a APAMI.

Em 1993, a APAMI cedeu espaço para um projeto idealizado pela pediatra Dra. Frávia Martinelli e a enfermeira obstetra Carla Bruço, começava ali a história vitoriosa do CIAMA - Centro de Aleitamento Materno de São Sebastião, que depois foi encampado pela Prefeitura Municipal e hoje atende todo Litoral Norte.

Durante todos esses anos a APAMI continuou com a entrega de enxovais às mães carentes, cestas de natal e brinquedos, doação de cobertores, cestas básicas e outros atendimentos de emergência que aparecem.

Todas as terças-feiras, a partir das 14h, as voluntárias se reúnem na sede, localizada à Rua Benjamin Constant nº 22 - Centro, para produzir o material que é vendido no Bazar do final de ano. Contam também com a contribuição mensal dos associados e assim arrecadam fundos, para mais um ano de trabalho à comunidade.


Nota do Editor: Maria Angélica de Moura Miranda é jornalista, foi Diretora do Jornal "O CANAL" de 1986 à 1996, quando também fazia reportagens para jornais do Vale do Paraíba. Escritora e pesquisadora de literatura do Litoral Norte, realiza desde 1993 o "Encontro Regional de Autores".
PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "SÃO SEBASTIÃO"Índice das publicações sobre "SÃO SEBASTIÃO"
16/04/2019 - 07h23 28º Torneio de Canoagem do Toque-toque Pequeno
20/03/2019 - 06h58 Show do Grupo Cantamar no Circo Navegador
16/02/2019 - 10h58 Homenagem aos poetas locais
05/02/2019 - 07h09 Almasurf oferece aulas gratuitas de surf em Guaecá
18/01/2019 - 18h32 Abertura oficial da campanha `Verão no Clima 2019´
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.