14/04/2024  15h24
· Guia 2024     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Medicina e Saúde
24/12/2022 - 06h33
Depressão é um perigo silencioso
Saulo Barbosa
 

Iniciada no Brasil em 2015, a campanha Setembro Amarelo procura conscientizar a população sobre o suicídio.

Esta conscientização é fundamental, pois a maioria dos casos associados ao problema, tem relação com algum tipo de transtorno mental, como ansiedade e depressão, que podem se manifestar em qualquer fase de nossas vidas.

Além disso, a pandemia da Covid-19 foi determinante para o aumento em 25% de casos de pessoas com ansiedade e depressão, segundo a Organização Pan Americana da Saúde (OPAS).

Em outras palavras, 300 milhões de pessoas sofrem com depressão no mundo.

O período de isolamento e momentos de estresse gerados pela situação podem ajudar a explicar o crescimento significativo de casos, que atingem desde crianças até idosos.

A depressão afeta a qualidade e a regularidade do sono, assim como as atividades diárias de uma pessoa, incapacitando-a muitas vezes a sair de casa, estudar e trabalhar; no pior dos cenários, a depressão leva ao suicídio.

Apesar da existência de tratamentos individualizados, estima-se que menos da metade da população com depressão busca ajuda especializada, seja pelo preconceito - pelo medo de ser taxado de “louco” - seja pela falta de recursos financeiros.

Outro fator é o diagnóstico incorreto, pois nem todos os acometidos por quadros depressivos possuem os mesmos sintomas.

Confundida muitas vezes com uma “tristeza”, a depressão se caracteriza por gerar um desânimo persistente e de grande duração.

De acordo com a OPAS, caso esse tipo de sintoma dure mais que duas semanas, isso é uma forte indicação de suspeita de depressão.

Ao notar esse e outros sintomas, como dificuldade de concentração, insônia, crises frequentes de ansiedade e pensamento suicida, devemos procurar com urgência ajuda de um médico psiquiatra.

Após avaliação e diagnóstico adequado, será ministrado o melhor tratamento medicamentoso, em conjunto com métodos e práticas psicoterapêuticas, que terão como objetivo único a recuperação total da saúde mental.

A continuidade ou mudança do tratamento dependerá unicamente do médico e jamais deverá ser interrompido por vontade própria do paciente.

Alguns casos deverão ter acompanhamento pela vida toda.

Diferente do que muitos julgam, depressão não é frescura e nossa saúde mental deve ser tratada com real atenção e cuidado, assim como fazemos com qualquer problema de enfermidade física que nos afeta.

Expor nossos sentimentos, medos e angústias é fundamental, e buscar auxílio e suporte profissional é o melhor caminho na busca de uma melhor qualidade de vida.


Nota do Editor: Saulo Barbosa é médico psiquiatra formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro com residência médica em psiquiatria pelo IPUB-RJ. Atende pacientes presencialmente em Minas Gerais, e on-line em todo Brasil e exterior.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "MEDICINA E SAÚDE"Índice das publicações sobre "MEDICINA E SAÚDE"
26/12/2022 - 07h45 Excesso de tecnologia pode afetar a saúde mental
23/12/2022 - 05h58 Febre alta e dor no corpo?
21/12/2022 - 06h08 8 passos de primeiros socorros do infarto
10/12/2022 - 05h22 Casos de dengue aumentam 180,5% em um ano
03/12/2022 - 05h39 6 mitos sobre a saúde ocular infantil
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2024, UbaWeb. Direitos Reservados.