10/12/2022  06h48
· Guia 2022     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Crônicas
24/11/2022 - 06h07
De Quilombo a Quilombo
Damião Ramos Cavalcanti
 

O Governo do Estado, em seu programa cultural, vem cumprindo as realizações dos festivais de cultura quilombola, cigana e indígena, sendo exemplo, para o restante do país, de que essas existem e subsistem, sobretudo nos seus espaços de outrora, de defesa e de luta, como exatamente eram topologicamente os então esconderijos aos fugitivos da opressão. Lugarejos ermos e de difícil acesso nas montanhas, como são o caso do Quilombo Serra da Caiana, onde se realizou o I Festival de Cultura Quilombola, no Município de Alagoa Grande. E agora, quando, realizar-se-á, em Santa Luzia, mais precisamente, na Serra do Talhado, o II Festival de Cultura Quilombola. Assim, a Paraíba se destaca, culturalmente, em cumprir, como resgate, parte da nossa dívida coletiva à matriz africana, cuja força e beleza, reconhecidamente, constituem o tecido social e cultural afro-brasileiro, ostentando-se fundamentais características da nossa identidade.

A nossa cultura, tipicamente brasileira, veio de séculos de formação, fundindo etnias, e sobretudo numa revigorante e fecunda comunhão de valores, legítimos e imprescindíveis, dos povos africanos, que se aclimataram, por aqui, apesar dos lamentáveis maus tratos iniciais, pelo mercado de produção; ajudaram-se a si próprios, graças às vivências dos seus costumes, alimentadores dos seus corpos e das suas almas. Essa presença efetiva negra, na vida social brasileira, transmitiu, a sucessivas gerações, culinária, cânticos, danças, contos, e cerimônias religiosas, mescladas ecumenicamente com elementos da fé católica, fossem santos, preceitos ou devoções, conquistando limites de tolerância dogmática, e educando-nos ao respeito da liberdade e igualdade religiosa.

No Novo Mundo, não há tanta beleza cultural, onde não houver recebido influência e participação dos negros advindos da África, como é o caso da música, considerada pelos franceses e europeus, como o maior valor cultural brasileiro. Tais valores culturais têm-se transformado em compreensão e apreço artístico a um festivo e simpático sincretismo. É em consonância com esse temperamento brasileiro e nordestino, em que manifestações da negritude se apresentarão no II Festival de Cultura Quilombola, quando, negras e negros festejarão, numa prazerosa definição de festival, o encontro de vários quilombos paraibanos, especialmente da região sertaneja. Haverá originalidades de ordem artística, a partir do artesanato, acompanhadas por maracatus, ciranda, forró, coco de roda, e ainda mais toadas, batuques e sambas. Será um dia inteiro, até às vinte horas, quando será servido um caldo, no tempero e ao bom gosto da cozinha afro-nordestina.

Os quilombos retratam o Brasil nas suas históricas conjecturas, como também, trazem, desde as origens, uma evolução africana, fora da África, entre nossa mélange étnica, qualificando-se pela reciprocidade que tal Festival proporciona, seja por causa das perspectivas, seja pelas expectativas que a cultura é capaz de criar. Ora, reside, nos quilombos, uma realidade que exprime hábitos e costumes da África ao Brasil, acontecendo numa história quadrissecular. Enfim, haverá poesia, como essa do chileno Pablo Neruda, mirando-nos dos Andes: ”Negros del Continente, al Nuevo Mundo habeis dado la sal que le faltaba. Sin negros no respiram los tambores; y sin negros, no menan las guitarras. Inmóvil era nuestra verde América, hasta que se movió como una palma, cuando nació, de una pareja negra, el baile de la sangre y de la gracia”.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "CRÔNICAS"Índice das publicações sobre "CRÔNICAS"
08/12/2022 - 05h29 O Quilombo Serra do Talhado
07/12/2022 - 06h07 Amar sem esquecer do romantismo
06/12/2022 - 05h50 Competência e humildade
30/11/2022 - 05h14 Ideal é poder viver agradavelmente
29/11/2022 - 05h32 A bota de Maria
28/11/2022 - 06h20 Uma leitura que me marcou
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2022, UbaWeb. Direitos Reservados.