16/12/2019  07h35
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
COLUNISTA
Herbert Marques
29/12/2009 - 08h02
Praia é bem público
 
 

Há muito se discute o uso indevido dos quiosques nas praias do litoral paulista, principalmente na areia. Praticamente toda faixa da praia é tomada por cadeiras e mesas onde são servidos toda sorte de alimentos e bebidas com higiene duvidosa.

Esta prática já foi combatida por um promotor de Ubatuba que acabou fazendo um acordo para que fossem usadas 20 mesas para cada quiosque. Como tudo que não tem fiscalização, o acordo foi prontamente descumprido e as coisas voltaram ao que era antes. Cada um colocando o que pudesse, tornando a praia Grande, Tenório e outras, tomadas pelas mesas e pelos marreteiros de todo o material de praia que se possa usar (cangas, óculos etc.).

Até que alguém se lembrou que a praia é território da União, com foro na Justiça Federal e lá entrou com uma ação contra os quiosques e outros equipamentos, dando no que deu. Certamente os quiosqueiros vão ter que colocar a mão no bolso para contratar um bom advogado e tentar cassar esta liminar, é a única solução.

Quando da primeira vez que surgiu esse incidente, muito falamos sobre a situação desses quiosques, criado por um prefeito que à época certamente não teve a intenção de gerar este elefante que hoje é esta estrutura. De qualquer maneira o elefante além de seu enorme tamanho, tornou-se manobra política e força eleitoreira, diga-se de passagem, seu grande pecado. O quiosque, na sua estrutura legal é um bem público e como tal deveria ter seu uso regulamentado por lei, com licitação a cada período e com uso sob as rédeas do Poder Público.

Não ouve interesse do Poder Público em fazer cumprir a lei. Achou melhor receber apoio político e deixar as coisas como estavam e estão. Resultado, um mar de ilegalidade.

Cassar esta liminar pode até acontecer, mas segurar o mérito desta ação não vai ser fácil. A Prefeitura por sua vez deveria agora por as coisas no lugar. Tomar aquilo que é seu, fazer licitação com transparência e resolver por definitivo um problema que se arrasta há algumas décadas. A faixa de marinha que ocupam é perfeitamente administrável pelo Poder Público, certamente sem a areia, como vinha sendo ocupado.

Coragem, senhor prefeito.


Nota do Editor: Herbert José de Luna Marques [1939 - 2013], advogado militante em Ubatuba, SP.
PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "UBATUBA"Índice das publicações sobre "UBATUBA"
16/12/2019 - 06h37 Festival de Marchinhas Carnavalescas de Ubatuba
15/12/2019 - 06h27 Renovação da licença de feirantes em Ubatuba
14/12/2019 - 08h19 Ambulatório de Infectologia amplia atendimento
13/12/2019 - 06h47 `Guarda responsável de animais e zoonoses´
12/12/2019 - 06h56 Interdição parcial no Itaguá em Ubatuba
11/12/2019 - 05h10 Interdição na Estrada da Almada em Ubatuba
ÚLTIMAS DA COLUNA "HERBERT MARQUES"Índice da coluna "Herbert Marques"
09/09/2011 - 12h02 Uma manifestação feliz
16/03/2011 - 12h01 Basílio nos deixou
10/09/2010 - 17h08 Escândalo - O perigo do anonimato
06/07/2010 - 08h11 Santa Casa de Ubatuba - reflexão sem paixão
25/05/2010 - 11h00 OAB-SP - Ubatuba - novas instalações
08/05/2010 - 08h00 Sobre ubatubância
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.