26/04/2018  02h40
· Guia 2018     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Opinião
12/01/2018 - 06h49
A importância de investir em seus talentos
Marco Cassel
 

Certa noite lia, como de costume, uma estória para minha filha. Nesse dia, escolhi a fábula de La Fontaine, “A Cigarra e a Formiga”.

Essa conhecidíssima fábula conta a estória de uma cigarra que passou o verão todo cantando, enquanto a formiga trabalhava estocando alimentos para o inverno.

Quando cheguei ao final da fábula, li este trecho:

“A formiga nunca empresta,
nunca dá, por isso ajunta.
- No verão em que lidavas? 
À pedinte (cigarra) ela pergunta.
Responde a outra: - Eu cantava,
Noite e dia, a toda hora...
- Oh! Bravos! (torna a formiga)
- Cantavas? Pois dança agora...”

Fiquei imaginando: essa estória não está boa, com todo respeito à La Fontaine.

Por que a cigarra sofria se era tão talentosa? E por que deveria carregar e organizar coisas se cantava e tocava tão bem?

E a formiga, sabia cantar, tocar, compor? Não, mas possuía um talento natural para a organização, para o planejamento.

Na mesma hora, comecei a ver como essa fábula tem a ver com os dias atuais. Como vejo pessoas frustradas em minhas andanças! Algumas porque tem que fazer o papel de formiga tendo talento para ser cigarra, outras, exatamente o contrário.

Penso que devemos valorizar nossos talentos, nossas vocações. Portanto, imaginei no final da estória a formiga muito bem no período difícil do inverno e a cigarra conseguindo uma excelente gravadora, gravando um clipe e fazendo sucesso nas rádios.

Concordo com La Fontaine que a formiga estava muito bem, mas era extremamente egoísta e não possuía a visão moderna que devemos ter hoje: a de aproveitar e extrair o que cada um tem de melhor, ajudar as pessoas a descobrirem e exercitarem seus talentos.

Tanto a cigarra quanto a formiga eram extremamente talentosas, mas a falha da cigarra foi não juntar seu talento ao foco, ao planejamento e à disciplina.

Então, pais, não queiram que seus filhos sejam advogados se o negócio deles é culinária. E gente, dentro de nossas empresas, vamos valorizar as diferenças, descobrir novos talentos, direcioná-los e auxiliá-los para que possamos todos ter sucesso em nossos empreendimentos pessoais e profissionais.


Nota do Editor: Marco Cassel (www.marcocassel.com.br) é palestrante motivacional, especialista em superação, criação de valor e em tocar o coração das pessoas.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "OPINIÃO"Índice das publicações sobre "OPINIÃO"
25/04/2018 - 07h30 Governos de visão restrita
25/04/2018 - 07h26 É a morte, pior que paga!
24/04/2018 - 07h13 As motivações de Gleisi Hoffmann
24/04/2018 - 07h09 Coalizão, o vírus da corrupção brasileira
23/04/2018 - 05h20 A sombra do rei barbudo
23/04/2018 - 05h16 Por que a pobreza aumentou?






· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2018, UbaWeb. Direitos Reservados.