24/09/2020  00h48
· Guia 2020     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Opinião
13/09/2020 - 07h18
A importância das trocas intergeracionais
Fabiana da Silva Prestes e Andrew da Silva Alfaro
 

As interações sociais fazem parte de nossas vidas e tem forte impacto em vários aspectos dela, podendo promover atitudes positivas e gerar conhecimento. Todos nós precisamos nos fazer entender, e a comunicação é uma parte importante desse desenvolvimento, sendo um processo natural e fundamental. E para isso é necessário que além de nos comunicar de maneira correta possamos compreender uns aos outros, e assim, promover uma interação de qualidade e construtiva.

As interações entre as gerações são de suma importância. As trocas intergeracionais fortalecem o relacionamento, promovem a troca de ideias e conhecimentos entre as faixas etárias favorecendo a formação e a consolidação de vínculos sociais, que permitem além da troca de experiências de vida o compartilhamento destes conhecimentos, ideias, atitudes, crenças, pontos de vista, hábitos, culturas, oportunidades, novos caminhos, crescimento e por fim evolução. De forma amigável, são construídos bons relacionamentos com aceitação e comprometimento entre as partes.

Pessoas são diferentes umas das outras, seja por questões familiares, educação, outras culturas, outras crenças, entre vários aspectos que podem fazer com que tenham visões diferentes de mundo, mas que não deve ser visto como empecilho para a criação de laços empáticos e novos aprendizados.

As trocas intergeracionais devem ser incentivadas, seja por meio de programas, politicas públicas, dentro das famílias, e na sociedade como um todo. Visto que estamos caminhando para ser um país de idosos e esse é um fenômeno global.

Nesse sentido, se faz necessário a construção de laços significativos e de reciprocidade entre as faixas etárias criando momentos de convivência e desconstrução de estereótipos e minimização de preconceitos relacionados à velhice.

Quando se tem respeito às diversidades e aos saberes e experiências de vida de cada um, há uma convivência pacífica e rica em solidariedade e reconhecimento das necessidades do próximo.

A solidariedade intergeracional pode reverter os preconceitos sociais frente ao envelhecimento, bem como agregar na melhoria da qualidade de vida de jovens, adultos e idosos e seus efeitos se produzem na saúde e bem-estar de cada geração.

Pessoas que vivenciam de forma positiva as relações e apoio intergeracional sentem-se mais positivas em relação a si próprias e ao mundo de forma geral, suportando melhor o stress, doenças e outras dificuldades que venham a se apresentar.

A gerontologia, como ciência que estuda o processo do envelhecimento nos aspectos biológico, psicológico, social, entre outros que permeiam esse processo, tem um papel fundamental na promoção e criação destas trocas intergeracionais. Os profissionais da área são figuras essenciais na construção de uma interação de qualidade entre as gerações.


Nota do Editor: Fabiana da Silva Prestes é professora do Curso de Tecnologia em Gerontologia - Cuidado ao Idoso do Centro Universitário Internacional Uninter. Andrew da Silva Alfaro é professor do Curso de Tecnologia em Gestão das Organizações do Terceiro Setor e Práticas Integrativas e Complementares (PICS) do Centro Universitário Internacional Uninter.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "OPINIÃO"Índice das publicações sobre "OPINIÃO"
23/09/2020 - 07h19 A vacina chegando em outubro
23/09/2020 - 07h13 Desdemocratização
22/09/2020 - 06h54 Na sala de espelhos da alma
22/09/2020 - 06h50 Contato
21/09/2020 - 06h56 TPI, uma corte que não se deixa usar
21/09/2020 - 06h52 Há milênios por caminhos errados
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2020, UbaWeb. Direitos Reservados.