21/08/2019  02h41
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
COLUNISTA
Julinho Mendes
05/06/2012 - 15h02
Rosas, alfaces e coragem
 
 
Julinho Mendes 

Acho bonito quem tem e cuida de um canteiro de flores em casa, ou mesmo que seja num vaso. Isso proporciona às pessoas um prazer, uma terapia, que as deixam mais alegres, mais compreensíveis, mais saudáveis e, com certeza, mais próximas de Deus.

Que coisa gostosa é plantar uma árvore e vê-la crescer, dar frutos, sombras, alimentos... Cada vegetal tem sua importância em nosso meio e o prazer em plantá-los é o mesmo, só que quando se planta uma comestível, o prazer é em dobro, é degustável, é saúde.

Tem gente que cultiva mato. O cultivador de mato é aquele que não tem habilidade com uma enxada, mas para segurar e levantar o ferro de uma alteres em uma academia de musculação, não mede força. Tem o outro que diz que a terra não presta, mas diariamente joga ao lixo quilos e mais quilos de matéria orgânica que é o melhor adubo que existe. Tem ainda aquele que diz que não planta porque a formiga come tudo; para esse eu vou repassar a armadilha que meu amigo Zé Ronaldo me ensinou para acabar com a formiga: você coloca ao lado do carreiro da formiga, em distância de um metro longe do outro, os seguintes elementos: um montinho de sal, uma tampinha de refrigerante com pinga dentro, um palito de fósforo e uma pedrinha. Você vai ver que no outro dia, o formigueiro inteiro está morto, em monte, ao lado da pedrinha. O Zé Ronaldo vai explicar o que acontece com as formigas.

Faaaaaala, Zé!

Eu vou ensinar aqui como fazer um pequeno canteiro para se ter uma hortinha em sua casa, igual a da imagem acima. Durante o ano vá jogando e misturando com a terra, restos de comida, cascas de frutas e legumes, folhas de árvores, qualquer material (orgânico) que dissolve na terra rapidamente, isso tornará a terra vitaminada, caso queira um processo mais rápido, arrume estrume (bosta) de gado ou de galinha, secos, misture e deixe curtir na terra por uns vinte, trinta dias. Nesse período de curtição do esterco, você arruma uma caixinha com terra preta e semeie as sementes das verduras, dessas compradas em casa de ração. Em aproximadamente trinta dias, dependendo da verdura, as mudinhas já estão prontas para irem ao canteiro definitivo, que deverá estar limpo e fofo; daí pra frente é só deixar o tempo agir. É lógico que a plantinha gosta de carinho, então sempre é bom tirar os matos que vão crescendo ao lado e dar uma mexidinha para oxigenar a terra e se não chover, pelo menos uma vez por dia dar uma regada com água bem fininha. Rapaz?! É saúde pura! Saúde sustentável, saúde mental, saúde econômica, saúde nutricional.

Tinha que ter, né, rapaz, nas escolas, disciplina específica para ensinar a criançada a ter gosto em fazer uma horta, um canteiro de flores, plantar uma árvore. Quantas escolas têm espaço para ser ocupado com hortas e jardins? Quantas casas têm seus quintais cobertos de matos? Como dizia Nelson Ishida: “Plantando dá, mas eu não planto não, pois eu sou malandro de tradição!” E tem ainda a frase filosófica de Isaias Mendes: “Plantando dá, não plantando dão!” Essa é para os que roubam ou que pedem de quem planta. Um antigo japonês que cultiva em suas terra na região do rio Escuro me disse outro dia, que metade do que ele planta a “vagabundalhada” leva sem permissão, dando-lhe um grande prejuízo.

Método de plantio eficaz e bonito de saber é o que o tucano, a araponga e outros pássaros da Mata Atlântica fazem; eles comem o coquinho da palmeira jiçara, se alimentando da polpa e cagando a semente em diversos lugares fazendo surgir outras palmeiras, mas essa farra dos pássaros, de comerem a polpa e cagarem a semente, vai acabar logo, logo. Isso quem pode explicar o motivo é o amigo Eduardo Souza.

Faaaaala Eduardo!

Coma verde, verde é saúde! Só não faça como o “Mané Empalamado” em que o médico receitou que ele precisava comer muito verde (verdura) porque andava muito amarelo, o cara voltou ao retorno, semana depois, mais amarelo ainda, o médico então questionou:

- Você fez o que eu mandei, comeu bastante verde para sair desse amarelão?

Mane Empalamado respondeu:

- Comi, doutor, mas não adiantou nada!

- Que verdura você comeu?

- Olha doutor, eu comi piriquito com batata, tiriba ensopadinha, juruba ao ketchup, grelhado de sabiá-cica e até o papagaio do vizinho virou churrasco!

Desconfiado, o médico fez a última pergunta:

- Que time o senhor torce, seu Mane?

- Corinthians, doutor!

- Tá explicado.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "CRÔNICAS"Índice das publicações sobre "CRÔNICAS"
20/08/2019 - 05h05 Até quando o horror contra a mulher?
19/08/2019 - 06h27 Engenho da marvada
18/08/2019 - 07h42 Vício arretado
18/08/2019 - 07h38 Contra pesos, contra medidas e poucas saídas!
16/08/2019 - 07h33 Flor de plástico
15/08/2019 - 07h51 Um sacrifício que não vale a pena
ÚLTIMAS DA COLUNA "JULINHO MENDES"Índice da coluna "Julinho Mendes"
02/02/2018 - 06h53 Os asfaltos de Ubatuba
25/01/2018 - 06h56 O chumbo vai ser grosso
19/01/2018 - 07h24 A culpa é da bunda
12/06/2017 - 07h02 A lenda da gruta do Curuçá
05/09/2016 - 07h30 A farra dos santinhos
02/12/2015 - 15h01 Minha primeira nave
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.