12/11/2019  13h05
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
COLUNISTA
Rui Grilo
17/10/2017 - 07h18
Ninguém do Ipiranguinha
 
 

Dia 08/10/2017 estive no Gaiato para assistir a peça “De Saia não se Sobe em Árvore”, do gênero teatro fórum e que faz parte do FEPET – Festival dos Pequenos Espaços Teatrais.

O Festival ocorreu no período de 05 a 14 de outubro, apresentando 13 espetáculos de vários gêneros em 7 espaços: Sobradão do Porto, Projeto Namaskar, Gaiato, Espaço Consciência, Escola Municipal Simeão, Convívio das Artes e Ubatuba em Foco.

Só o fato de cobrir uma variedade de gêneros e de espaços em diferentes regiões do município já seria um ponto positivo por garantir a facilidade de acesso a um público mais amplo. Houve várias pessoas que afirmaram que era a primeira vez que assistiam a uma peça de teatro.

Mas o fato de reunir grupos do próprio município é outro ponto muito positivo porque não é apenas a fruição mas a participação ativa em várias modalidades: como atores, diretores, iluminadores, figurinistas etc. Essa participação pode ser um fator importante no alargamento de perspectivas culturais, ideológicas e profissionais. Permite ao espectador refletir sobre diferentes situações e olhar o mundo de maneira diferente.

No Gaiato, como a peça era do gênero teatro fórum, após o término do espetáculo iniciou-se um debate que durou mais de uma hora e com grande participação sobre várias partes da peça. Alguns espectadores que apresentavam pontos de vista diferentes eram chamados ao palco para mostrar como reagiriam em determinadas situações envolvendo os variados papéis e preconceitos presentes na sociedade atual, principalmente no que se refere aos papéis masculinos e femininos.

O que me chamou mais a atenção é que quando o coringa – o mediador do debate – perguntou quem era do Ipiranguinha, ninguém levantou a mão. Apenas o diretor do Gaiato estava presente, embora seja uma entidade que atende principalmente os adolescentes do bairro.

Então, o simples fato de deslocar o teatro para o bairro e da temática ser atual não foi suficiente para atrair seus moradores. Qual seria a razão dessa atitude?


Nota do Editor: Rui Alves Grilo é professor da rede pública de ensino desde 1971. Assessor e militante de Educação Popular.
PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "UBATUBA"Índice das publicações sobre "UBATUBA"
12/11/2019 - 06h57 E nas areias de Ubatuba... (CCLXXXVII)
12/11/2019 - 06h55 Ubatuba divulga atividades do Novembro Azul
10/11/2019 - 05h49 `Diga não à violência contra a mulher´, em Ubatuba
09/11/2019 - 07h46 Renovação do contrato com a Sabesp em Ubatuba
08/11/2019 - 06h37 16º Salão Ubatuba de Artes Visuais
07/11/2019 - 05h59 `Vem Dançar´, em Ubatuba
ÚLTIMAS DA COLUNA "RUI GRILO"Índice da coluna "Rui Grilo"
23/11/2017 - 06h27 Projeto de vigilância comunitária no Perequê-Açu
24/10/2017 - 06h21 Chega de cocô na praia
28/09/2017 - 06h48 Perequê-Açu, em Ubatuba, pode virar Massaguassu
18/09/2017 - 07h19 Semar constrói ilhas de calor no centro de Ubatuba
10/01/2017 - 08h04 Quando o dia chegar
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.