21/10/2019  01h33
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
Ubatuba - Sua opção de lazer
UBATUBA Dados Gerais História Personagens Cultura Natureza Esportes Praias Eventos Mapas Guia UbaWeb 2019 Pontos Turísticos Mapa do Site Créditos
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
HISTÓRIA
Exaltação da Santa Cruz conta sua história

A primeira Igreja Matriz de Ubatuba, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, localizava-se onde hoje se encontra o cruzamento das ruas Conceição e Salvador Correa, correspondendo aos fundos da Câmara Municipal. Por ser pequena e achar-se em mau estado de conservação, providenciou-se a construção de uma nova Matriz, a atual, em melhor localização, de maiores dimensões e nova arquitetura.

Isso se deu na segunda metade do Século XVIII (1700). De fato em Ofício de 09 de março de 1790 o Secretário do Governo da então Província de São Paulo, dirigiu-se ao Capitão Mor da Vila de Ubatuba, autorizando "a cobrar subsídios para a construção da nova Matriz" (Apontamento do Arquivo do Estado).

Em 20 de junho de 1834, a Câmara Ubatubense solicitou do Governo da Província providências em favor daquelas obras. Em 10 de janeiro de 1835 a Câmara dirigiu-se ao mesmo solicitando providências para "ereção ou mesmo a reedificação da Matriz, da qual só existe a capela-mor".

De quando acima, vê-se que em 1835 a matriz estava ainda em início de construção, as obras prosseguindo em moroso andamento, enfrentando as dificuldades da época e a grandiosidade do templo.

Nesse andamento, em 1866 foi acabada a fachada, como se pode conferir no alto da porta principal, num gradil de ferro. No principio deste século somos testemunhas, a nave apresentava acabamento razoável, enquanto da capela-mor só existia o arcabouço: paredes sem reboco, telhados sem forro, o piso era chão bruto.

Exaltação da Santa Cruz - Antes de 1885
Foto: Arquivo UbaWeb

São conhecidas algumas fotografias do fim do século passado nas quais se vê a Igreja totalmente erguida, mas sem as torres, ostentando apenas um lucernário sobre a capela-mor, onde certamente estariam os sinos. Atualmente a Igreja tem uma torre: uma apenas que lhe dá a característica de inacabada. Por informação de pessoa vivida nos fins do século passado, ficamos sabendo que esta torre foi construída entre os anos de 1885-90. Na torre havia um relógio de amplas dimensões que por muitos anos marcou a hora oficial da cidade. Foi há pouco substituído por outro de idênticas dimensões, atualmente inativo.

Contudo a Matriz continuava necessitando de obras para a sua conclusão. Até 1913 muita coisa estava por fazer: exteriormente apenas a fachada era rebocada, quando toda a nave e capela-mor permaneciam sem revestimento, motivo pelo qual não era utilizada, servindo apenas para depósito de material bruto por aproveitar. O altar-mor, muito alto mas muito simples, tinha forma de escada piramidal e estava posto na nave, junto a parede que a separava da capela-mor.

Em 1913 o Pe. Paschoal Reale, não podendo restaurar também a Igreja do Rosário que existia na atual praça Senhora da Paz, demoliu-a e com o material aproveitável e auxílios angariados, fez rebocar e dotar de piso a capela-mor, transferindo para lá o altar-mor.

Em 1915 o Pe. Reale, mais uma vez aproveitando peça dos antigos altares da Igreja demolida, do Rosário, fez construir o atual altar-mor, onde a par de peças novas se podem observar colunas e molduras em outro estilo.

Modificação nas torresModificação nas torres
Foto: Arquivo UbaWebFoto: Arquivo UbaWeb

Em 1940 o Pe. Hans Beil, Pe. João como era conhecido, pretendendo substituir o velho assoalho de madeira por piso ladrilho, arrancou as largas tábuas já apodrecidas, deixando a nave em pleno areal. Mas o estado de guerra entre nosso País e a Alemanha, impôs ao Pe. João deixar a Paróquia antes de concluir o seu intento. Substituiu-o Pe. Ovidio Simon que realizou a obra.

A partir de 1956 passaram a tomar conta da nossa Paróquia os Frades Menores Conventuais. Frei Tarcísio Miotto, Frei Vitório Valentini, Frei Vitório Infantino, Frei Alberto Bissoli e outros dispensaram atenção e carinho para a nossa Matriz.

Igreja Exaltação da Santa Cruz - Foto: © Miguel Angel
Foto: © Miguel Angel
Desde 1980 até 1992, o pároco foi Frei Angélico Manenti que corajosamente empreendeu a execução das mais ousadas obras de restauração da nossa Igreja, com a substituição do madeiramento superior, decorado o interior da nave, restaurados os dois corredores laterais, substituído todo o reboco externo, o calçamento externo até a total pintura externa. Falta um novo relógio na torre e um novo conjunto de sinos, como aqueles outros que, há anos, ecoavam harmoniosamente no céu ubatubense.

Em seguida, Frei Antonio Corniatti (1992-1995), Frei Ismael Stangherlin (1995-1998) foram párocos.

Atualmente Frei Gastone Pozzobon é o pároco, levando para frente 26 pastorais e 4 movimentos.

A paróquia está compromissada com a construção de duas grandes obras: o Salão Paroquial da Igreja São Francisco e a Igreja Nossa Senhora de Fátima no bairrro do Ipiranguinha e possui 27 CEBs.

FONTE
Jornal de PRAIA em PRAIA - Boletim das Comunidades Católicas - maio de 1999
Voltar






· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.