25/05/2019  04h37
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
Ubatuba - Sua opção de lazer
UBATUBA Dados Gerais História Personagens Cultura Natureza Esportes Praias Eventos Mapas Guia UbaWeb 2019 Pontos Turísticos Mapa do Site Créditos
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
NATUREZA
Aquário de Ubatuba

O Aquário de Ubatuba é um empreendimento privado, inaugurado em janeiro de 1996, voltado para a educação e a conscientização ambiental. Concebido, estruturado e gerenciado por dois colegas oceanógrafos (Hugo Gallo e Eduardo Radwanski), o Aquário é hoje considerado um atrativo turístico regional recebendo excursões de cidades tão distantes quanto Campo Grande, MS.

Visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do ecoturismo no Litoral Norte, o Aquário reúne em seus 15 tanques uma biodiversidade representativa dos diversos ecossistemas presentes na região. O percurso de visitação ao Aquário inclui o costão rochoso, o fundo arenoso, o recife de coral, o manguezal, o mar costeiro e os ambientes de água doce, todos com painéis luminosos que explicam a importância e o funcionamento de cada ecossistema. No total, são mais de 70 espécies diferentes entre peixes, invertebrados, répteis e anfíbios.

O tanque do mar costeiro, de 80.000 litros, é atualmente o maior tanque de água marinha existente no país e conta com inúmeras espécies de raias, dois exemplares de tubarão-lixa, uma moréia pintada, diversas lagostas, budiões, donzelas, garoupas entre outras curiosidades. Mergulhos para manutenção são feitos ocasionalmente no tanque principal e nessas oportunidades o visitante pode observar o mergulhador manusear e brincar com "Morgana", a moréia, e "Cindy", a tubarôa!

Tanque Oceânico - Foto: © Aquário de Ubatuba Tanque de Manuseio - Foto: © Aquário de Ubatuba Sala de Projetos - Foto: © Aquário de Ubatuba

Atenção especial é dispensada às crianças, sendo que as mesmas, até quatro anos, entram de cortesia. Os tanques no percurso de visitação possuem um desnível apropriado para "os baixinhos", e quando isso não é possível, existe um degrau em frente ao tanque para que os pais não precisem levantar suas crianças para que elas observem as várias criaturas. No tanque de contato e manuseio, onde os visitantes podem tocar e manusear alguns vertebrados e invertebrados inofensivos típicos da região, monitores orientam e explicam a biologia de cada organismo.

Procurando conscientizar o público visitante para com as diversas ameaças ao equilíbrio ambiental, o Aquário de Ubatuba lançou, junto com o Projeto Tamar / Ibama, uma campanha para a remoção do lixo do mar e das praias. Após um mutirão de limpeza na praia de Iperoig no Dia Internacional dos Oceanos (8 de junho), no qual participam centenas de crianças das escolas locais, o lixo encontrado é amontoado na praça Santos Dumont, onde é encenado um teatro de fantoches sobre este tema. Estes eventos servem para dar continuidade à campanha que consiste na distribuição do cartaz "A Duração do Lixo no Mar". Da primeira tiragem deste cartaz, de 2.000 cópias, uma parte é reservada para as escolas que já visitaram o Aquário bem como àquelas que ainda o visitarão, sendo que a outra parte é vendida, cada venda produzindo mais dois cartazes; um, que é doado, e o outro, vendido.

O Aquário de Ubatuba oferece estágios não-remunerados para estudantes universitários e conta com um convênio oficial com a faculdade de Oceanologia, da Fundação Universidade de Rio Grande - FURG, onde seus idealizadores formaram-se em 1987.

O Aquário inclui uma lanchonete completa, um auditório com ar-condicionado para sessenta pessoas e uma lojinha de souvenirs, com diversos produtos que levam o logotipo do Aquário; um tubarão que, invertido, vira um golfinho!

Coerente com seus objetivos maiores de educar e conscientizar para promover o turismo de forma sustentável, o Aquário de Ubatuba não possui qualquer animal ameaçado de extinção, como os corais e as tartarugas marinhas. Os organismos exóticos são todos adquiridos de importadores devidamente cadastrados e licenciados pelo IBAMA.

Desde sua inauguração, o Aquário já recebeu mais de 70.000 alunos das redes de ensino público e particular. Através de um agendamento prévio, as turmas são recebidas por monitores que acompanham a visita e explicam detalhes e curiosidades da biologia e ecologia dos animais e dos ecossistemas apresentados.

Graças ao apoio de seus visitantes e da imprensa nacional, que é capaz de reconhecer a utilidade pública deste empreendimento, o Aquário encontra-se em seu terceiro ano de existência conseguindo consolidar e expandir seus diversos projetos e atividades. A mais recente novidade é o tanque dos cavalos marinhos com caranguejos-aranhas, lírios-do-mar entre outras curiosidades.

TOUR PELO AQUÁRIO

Lagosta - Panulirus Argus - Foto: © Aquário de Ubatuba Raia Anjo - Zapteryx Brevirostris - Foto: © Aquário de Ubatuba Guaiamun do Mangue - Cardissoma Guanhumi - Foto: © Aquário de Ubatuba
Cirurgião ou Barbeiro - Acanthurus Bahianus - Foto: © Aquário de Ubatuba Ermitão - Petrochirus Dihógenes - Zapteryx Brevirostris - Foto: © Aquário de Ubatuba Cavalo Marinho - Hippocampus Erectus - Foto: © Aquário de Ubatuba
Corte de um Náutilus - Nautilus Pompileuss - Foto: © Aquário de Ubatuba Polvo - Octopus Vulgaris - Foto: © Aquário de Ubatuba Moréia Pintada - Gymnothorax Ocellatus - Foto: © Aquário de Ubatuba


COSTÃO ROCHOSO

A formação geológica do Litoral Norte Paulista possibilitou, associada às condições ambientais locais, a formação na região do rico ecossistema que chamamos de Costão Rochoso. Popularmente chamado pelo caiçara de "costeira", este ambiente abriga uma riquíssima fauna e flora que se adaptou ao forte batimento das ondas e correntes, à variação das marés e às diferentes condições de cada ponto da costa. Neste rico ecossistema convivem em harmonia comunidades de algas e inúmeros animais marinhos, que se fixam fortemente às rochas, bem como moluscos, crustáceos, peixes, tartarugas e outros animais que passam ali parte importante de suas vidas. O batimento constante das ondas, especialmente em ressacas, obriga muitos animais a se fixarem firmemente sobre as pedras ou a encontrar abrigo entre elas, como a lagosta. Na região mais profunda, onde o batimento é menos intenso, convivem animais adaptados ao fundo, como o peixe morcego e o peixe pedra.


FUNDO ARENOSO

À primeira vista, uma praia arenosa pode parecer um local deserto e sem vida. Entretanto, se observarmos melhor este ambiente, veremos que ele pode abrigar uma razoável quantidade de organismos. Em função das variações diurnas das marés, estes ambientes apresentam três faixas distintas, sendo uma inferior ou infralitoral, normalmente submersa (exceto em marés extremamente baixas), uma intermediária ou mesolitoral, sendo coberta e descoberta duas vezes ao dia, e uma superior ou supralitoral, constantemente umedecida pelo spray do mar, mas descoberta (exceto em ressacas, tempestades ou marés extremamente altas).

Nas praias arenosas podem ser encontrados representantes da maioria dos grupos zoológicos, desde crustáceos, moluscos e poliquetos (vivendo sob influencia direta e indireta da água do mar), até representantes da fauna continental como insetos e anfíbios que por serem adaptados à altas salinidades, ocupam o supralitoral.

Destacam-se ainda as aves marinhas que buscam o alimento na areia.


MANGUEZAL

Os manguezais são ecossistemas muito importantes para os demais ecossistemas costeiros uma vez que contribuem muitos dos nutrientes que sustentam a maior parte da vida marinha. Os manguezais são constituídos de três espécies diferentes de mangues, que abrigam uma flora e fauna muito rica e diversa. Suas raízes retêm boa parte do sedimento trazido pelos rios e liberam continuamente, mas principalmente na vazante, muitos nutrientes para as águas costeiras, servindo também de berçário para muitas espécies de peixes, moluscos e crustáceos. Estes ecossistemas estão seriamente ameaçados por aterros para as mais variadas formas de construção e sua destruição empobrece indiretamente a pescaria.


RECIFES DE CORAL

Os Recifes de Coral são ecossistemas extremamente antigos, frágeis e muito ricos em biodiversidade. Uma associação simbiótica entre um animal (anêmona) e um vegetal fotossintetizante (microalga) fornece a base para as maiores construções já realizadas pela vida sobre esse planeta. A Grande Barreira de Coral, na costa nordeste da Austrália, possui mais de 1600 km de extensão e reúne uma biodiversidade incomparável. No litoral brasileiro não existem muitos recifes de coral devido a turbidez das águas costeiras, fruto da imensa carga de sedimentos carreados para a costa por inúmeros e extensos rios.

Sendo ecossistemas muito delicados e preciosos, qualquer distúrbio em seu ambiente pode frear seu crescimento e matar muitas outras formas de vida que dependem direta ou indiretamente deles. Os corais são organismos que precisam de muita luz solar, e por isso, ocorrem somente na faixa equatorial, em águas muito limpas e transparentes.

A pequena alga fotossintetizante fornece parte do alimento do coral, enquanto recebe proteção e nutrientes do mesmo. Assim, os dois coexistem há milhões de anos, construindo formações que abrigam diversas outras formas de vida e criando uma verdadeira floresta submarina, com uma riqueza de cor e vida inigualáveis.

Uma das causas da destruição dos Recifes de Coral é a sua extração para a comercialização dos organismos vivos ou mortos, neste caso seus esqueletos, as pedras de coral. O Aquário de Ubatuba não possui qualquer coral vivo ou morto em sua exibição, não querendo participar deste mercado insustentável e ecologicamente incorreto. No Aquário, são apresentadas réplicas em cerâmica que se aproximam do formato dos verdadeiros corais com a esperança que isso venha a ser uma prática comum no futuro próximo.


CRUSTÁCEOS

Os crustáceos são organismos invertebrados que tem o esqueleto do lado de fora do corpo em forma de uma carapaça. Existem várias formas diferentes, cada qual apresentando uma carapaça diversa recoberta de antenas e espinhos.

Quando jovens passam por um estágio de larva flutuante e fazem parte do plancton, base da cadeia alimentar dos mares. Existem formas microscópicas de crustáceos que alimentam diretamente os maiores seres vivos sobre a face do planeta; as grandes baleias azuis. Outras formas maiores servem de alimento para os seres humanos como o siri, o caranguejo, o camarão e a lagosta.

Os crustáceos são muito variados não só em tamanho como também em estilo de vida. Alguns andam sobre o fundo (caranguejo) enquanto outros são capazes até de nadar (camarão). Ainda outros passam a vida fixos no mesmo lugar (cracas) filtrando a água que passa para obter seu alimento.


EXÓTICOS

Os tanques de peixes exóticos abrigam algumas curiosidades da natureza como o cavalo marinho, os peixes palhaço e as anêmonas, o caranguejo aranha entre outros.


EXPOSIÇÃO DE CONCHAS

A exposição de conchas é uma introdução ao fascinante mundo da Conquiliologia, a ciência que estuda as conchas. Nela, você poderá ver verdadeiras obras de arte esculpidas pela natureza, além de curiosidades como o processo de formação das pérolas, entre outras.


MOLUSCOS

Os moluscos são organismos invertebrados que tem o esqueleto do lado de fora do corpo na forma de uma concha. Existem várias formas diferentes, cada qual apresentando um formato de concha diversa. Alguns são nadadores velozes (polvo, lula) enquanto outros ficam fixos sobre o fundo a maior parte da vida (ostra, mexilhão). Ainda outros são capazes de rastejar sobre o fundo raspando as pedras com uma língua afiada (caramujos), enquanto outros se enterram para escapar de possíveis predadores (sururu). O cardápio desses animais é igualmente variado e eles também servem de ótimo alimento para outras formas de vida, entre estas, os pássaros que ficam bicando a areia da praia durante a baixa-mar, bem como para o ser humano.


MORÉIAS

As moréias são peixes sem as nadadeiras ventrais e peitorais (ápodes), com um corpo longo e cilíndrico, normalmente sem escamas. Esses peixes vivem entocados de dia e geralmente saem para caçar à noite. São predadores vorazes de peixes e invertebrados cujos dentes finos podem ser venenosos. Existem cerca de 30 espécies que habitam o litoral brasileiro, e em Ubatuba é freqüente encontrar exemplares de caramuru (Gymnothoraz moringua), moréia pintada (Gymnothorax ocellatus), muçum do mar (Ophichthys gomesi) e muçum pintado (Ophichthys ophis) vivendo em tocas no costão rochoso do continente e das ilhas.


SALA DE PROJETOS

A Sala de Projetos é um espaço criado pelo Aquário de Ubatuba para a divulgação de projetos e pesquisas relacionadas a preservação ambiental. Para divulgação desses trabalhos é necessário um agendamento prévio junto ao Aquário. Entre outras exposições já realizadas, destacamos o Projeto Tamar - IBAMA, CEBIMAR (USP), Projeto Alcatrazes e Projeto Cetáceos.


VISITAÇÃO

O Aquário abre seis dias por semana, de quinta a terça, das 10:00 às 22:00 horas, fechando às quartas-feiras para trabalhos de manutenção. Durante as férias de julho e nos meses de verão, o Aquário abre todos os dias. Sendo um projeto inteiramente particular, o Aquário sobrevive cobrando um ingresso de seus visitantes. Criança até 5 anos não paga. O Aquário tem tarifas especiais para grupos e escolas.

O Aquário está localizado na Rua Guarani, 859, Itaguá. Telefax (12) 3832-1382. Pelo endereço www.aquariodeubatuba.com.br o internau-ta pode visitar o site do Aquário de Ubatuba na Internet.

FONTE
Aquário de Ubatuba
Voltar






· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.