19/07/2019  01h00
· Guia 2019     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
Ubatuba - Sua opção de lazer
UBATUBA Dados Gerais História Personagens Cultura Natureza Esportes Praias Eventos Mapas Guia UbaWeb 2019 Pontos Turísticos Mapa do Site Créditos
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
NATUREZA
Ilha Anchieta
Ilha AnchietaBoqueirão
Carta-Imagem: © INPEFoto: © Paulo Moraes

HISTÓRIA

Habitada por índios, dentre os quais, Cunhambebe, desde que se tem conhecimento, a ilha Anchieta recebeu os primeiros colonizadores ingleses, franceses e holandeses aproximadamente no ano de 1600.

Suspeita-se que por volta de 1803 começaram as primeiras construções do que mais tarde viria a ser o presídio da então ilha dos Porcos. Um pequeno destacamento do exército português foi enviado à ilha para tomar conta das edificações.

Em 1850 a ilha serviu de base naval para cruzeiros ingleses encarregados da caça aos navios negreiros.

No início de 1870 a ilha já estava bastante povoada e tinha plantações de café, cana e até engenhos de pinga.

Em 1905 a ilha dos Porcos é escolhida para construção de uma colônia penal pelo presidente Afonso Augusto Moreira Pena e pelo governador Jorge Tibiriçá (Presidente do Estado).

Em 14 de fevereiro de 1907 é assinado e decretado o regulamento do presídio e em abril começam a chegar os primeiros detentos. As atividades continuaram até 1914, quando, por motivos políticos, o presídio foi desativado e transferido para Taubaté. Apenas em 1928 a colônia penal da ilha dos Porcos foi reativada, desta vez com mais importância dentro do cenário penitenciário nacional. Nesse rumo, é transformada em presídio político no ano de 1931.

Em 1934 o presidente Getúlio Vargas, através de seu interventor Armando Sales de Oliveira, altera o nome da ilha para Anchieta.

No início da década de 40, acontecem reformas nas edificações e um represamento de água potável para a criação do Instituto Correcional da Ilha Anchieta, que em 1943 já abrigava 273 presos e serviu de presídio para japoneses do movimento Xindô-Remei.

Em 1952 acontece a "Grande Fuga". Sob a liderança de Pereira Lima, Faria Lima, Diabo Loiro e China, 107 presos fogem do presídio, abrindo caminho a balas pela praia num confronto que matou 8 soldados e 4 funcionários penitenciários. Foi a maior evasão de detentos da história carcerária mundial. Relatos de presos se entregando e, mesmo assim, sendo massacrados até a morte e de presos fiéis ao presídio lutando ao lado dos policiais são encontrados até hoje em obras que tratam do assunto.

Em 1955 o presídio é desativado definitivamente e apenas em 1969, por um projeto chamado FUMEST, suas ruínas são transformadas em atração turística pelo governador Abreu Sodré. Em 1984 o governador Franco Montoro decreta o local Parque Estadual da Ilha Anchieta. Até hoje, a ilha é o maior pólo turístico de Ubatuba. Em 1999, passou por uma reforma que recuperou instalações de infra-estrutura turística.

Ilha Anchieta - Ruínas do PresídioIlha Anchieta - praia do Presídio
Foto: © Paulo MoraesFoto: © Paulo Moraes

O PARQUE ESTADUAL DA ILHA ANCHIETA

Um parque estadual é uma área geograficamente delimitada, dotada de atributos naturais excepcionais, objeto de preservação permanente. Os parques estaduais destinam-se a fins científicos, culturais, educativos e recreativos, constituindo-se bens do Estado e destinados ao uso do povo.

O objetivo principal de um parque estadual é a preservação dos ecossistemas e da diversidade genética. No caso do parque da Ilha Anchieta, hoje integrado à rede de Unidades de Conservação administrada pela Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo através do Instituto Florestal.

O parque ocupa a totalidade da ilha e, além de proteger as riquezas naturais, preserva o rico patrimônio histórico-cultural representado pelas ruínas do presídio e suas instalações.

Ao visitar a parte histórica do parque, o visitante contribui com uma pequena taxa de ingresso, destinada à conservação e melhoria da infra-estrutura e visitação.

Através de duas trilhas principais, a trilha da Prainha e a trilha da praia do Sul, o visitante percorre a Mata Atlântica em seu formato original. A flora variada inclui árvores altas como figueiras, capixinguis, guapuruvus e outras como ipês, tapiás, palmiteiros e brejaúvas, todas com troncos povoados por orquídeas, samambaias e cipós.

Diversos animais encontram abrigo e alimento nessa mata, como capivaras, pacas, cotias, macacos-prego, sagüis, quatis, gambás, lagartos, preguiças e tatus. Levantamentos científicos constataram a presença de mais de 50 espécies de aves, entre as quais, sabiás, juritis, tangarás, tiés-sangue, coleirinhas, saíras, bem-te-vis, beija-flores, atobás e gaivotas.


O PONTO TURÍSTICO MAIS VISITADO DE UBATUBA

Localizada a 600 metros do continente, a ilha Anchieta reúne em sua paisagem componentes contrastantes. A beleza das praias de águas límpidas, o antigo presídio e o Núcleo de Atividades do Projeto Tamar são as principais atrações do local, que na alta temporada recebe turistas diariamente.

Baía das Palmas - Foto: © Paulo Moraes Pedra do Navio - Foto: © Paulo Moraes Praia de Leste - Foto: © Paulo Moraes
Prainha de Leste - Foto: © Paulo Moraes Ilhote do Sul - Foto: © Paulo Moraes Praia do Sul - Foto: © Paulo Moraes

Além disso, e um dos fatores mais importantes para torná-la um verdadeiro paraíso ecológico, foi criado o Parque Estadual da Ilha Anchieta, com área de 828 hectares, sendo um dos poucos parques insulares com terras totalmente de domínio público. A vegetação da ilha é remanescente da Mata Atlântica, que foi repovoada com animais silvestres, com o objetivo maior de preservar a fauna e a flora originais do local.

Apesar da pesca ser proibida, as praias da ilha, todas belas e selvagens, são ideais para os praticantes de mergulho, pois suas águas oferecem uma boa visibilidade para observação das várias espécies marinhas que habitam a região.

No dia 15 de novembro de 1997, na praia de Leste, foi realizado o afundamento da estátua de Jacques-Yves Cousteau (homenagem ocorrida durante o 1º Encontro de Mergulhadores de Ubatuba).

O presídio, desativado, passou a ser o ponto turístico mais visitado de Ubatuba. Para conhecer as ruínas e outras maravilhas da ilha, como a praia do Sul, basta embarcar nas escunas que partem do Saco da Ribeira ou da praia do Itaguá, que oferecem um bom serviço a preços acessíveis.

Dentre todas as belezas, existe ainda o Projeto Tamar, que encanta pelo belo trabalho de proteção das tartarugas. Estes animais marinhos vivem em tanques e recebem cuidados de técnicos especializados.

Visitar a Ilha Anchieta é antes de tudo um aprendizado. Vale a pena conferir!

FONTE
Lita-Jacques Chastan em "São Paulo - Litoral Norte - Ilha Anchieta", Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo - Governo do Estado e Jornal "A Cidade"
Voltar






· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2019, UbaWeb. Direitos Reservados.